segunda-feira, junho 28, 2010

                                       DESALENTO        
        
        



Amanhece.


Os pássaros cantam


Festejam um novo dia.


Para mim


É só mais um dia


De dor incomparável


A vagar entre fotos, objetos e recordações.


Onde andarás tu,


Amor de minha vida?


A chuva cessou lá fora


Mas não cessou dentro de mim.


Tudo continua cinzento


Sem perspectiva,


Sem esperança.


Nada vejo além do túmulo


Que encerra teu corpo amado


Perdido para sempre.


Tua alma, filho querido


Que fazia teus olhos brilharem


Como faróis a apontar caminhos


Que era alento para todos nós


E cujo calor emanado


Esquentava nossos corações,


Acarinhava nosso espírito,


Alegrava nossas vidas,


Por onde andará?


Alma de menino puro


Em corpo de homem


Que sempre manteve no coração


Valores adquiridos na infância


Sem se contaminar


Com sentimentos mesquinhos.


Alma imaculada, pura


Plena de amor, alegria,


Calor humano,


Respeito ao próximo


Amizade, fidelidade,


Solidariedade e generosidade


Que tanto nos faz falta


Por onde andarás?





Publicado parcialmente no site:
www.recantodasletras.com.br
Data:2012.01.08


Amanhece.

Os pássaros cantam

Festejam um novo dia.

Para mim

É só mais um dia

De dor incomparável

A vagar entre fotos, objetos e recordações.

Onde andarás tu,

Amor de minha vida?





Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2012.03.15 página 19- Quinta-feira













Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home