quarta-feira, junho 09, 2010







SAUDADE, ainda dizem que é difícil de explicar...   




Entrar no quarto e não te ver,

Olhar tuas coisas e não entender o porquê...

Pensar que nunca mais vamos nos encontrar, ao menos não nessa vida...



Olhar pra porta e saber que nunca mais vais entrar...

A tua imagem chegando em casa carregando a mesma pasta, cheia, do computador, de livros, de provas, de sonhos.



Sonho de ser professor, sonho de ser empresário, sonho de ser feliz, sonho de não ter limites para conquistar as coisas, as pessoas, a vida.



Ficar sem te ver chegar no almoço, na hora de dormir, do serviço, das viagens, das festas.



Ficar sem a tua ajuda, sem a presença silenciosa, sem as orientações, conselhos, repreensões, sem o carinho de quem nos quer bem, sem o sorriso, que sem percebermos era constante.



Não dá pra explicar porque tu fostes, deixando esse vazio...


Mas o vazio se sabe que se instalou por tudo o que tu fostes em vida e depois de tua partida dolorosamente descobrimos.



A dor parece que não dá pra aguentar. É infinitamente maior que qualquer outro sentimento.



É destacar de nossas vidas, de nosso coração, parte fundamental, sem a qual parece que não vai mais funcionar.



De fato, é difícil explicar 'tudo' aquilo que tua ausência provoca em nós, mas aceitar que SAUDADE é palavra difícil de ser traduzida, só mesmo por quem nunca sofreu a dor de perder a representação do amor na sua vida.




- Rô te amo! A distância e o tempo não apagarão o que tu representas pra nós. Nosso Anjo de Deus na terra! -
 
Márcia Vargas

Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2010.06.28

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home