segunda-feira, janeiro 15, 2007

SINGELA HOMENAGEM...
À PROFESSORA BRENDA MARIS SCUR DA SILVA



...Sou parte de toda a humanidade. Vou morrer, mas também vou continuar vivo. De alguma outra forma? Quem sabe? Mas acredito que faço parte de um todo maior.
Morrie Schwartz
Há dois dias atrás me deparei com uma nota no jornal que me deixou estarrecida. A morte sempre nos pega de surpresa,ainda mais quando se trata de alguém que conhecemos cheia de vida,de alegria,de entusiasmo(cujo significado é cheio de Deus,ou com Deus dentro) e que não imaginávamos que fosse nos deixar tão cedo.
Conheci Brenda quando fui fazer a oficina de narrativa no Instituto João Simões Lopes Neto. Pessoa inteligente,culta,cheia de disposição e bom humor.Amava a literatura.Ensinava o nosso idioma com leveza,correlacionando fatos,livros,autores,épocas,estilos,idiomas,como só um profundo conhecedor poderia fazê-lo.Era um agradável bate-papo que se prolongava no café na livraria na esquina.
Devo a ela, após sua leitura, a sugestão do título de minha narrativa(Sorte Selada).
Nosso último encontro foi na feira do livro.
Dissera-me, em certa ocasião,que já tinha um projeto para 2007,para realizar uma oficina de literatura sobre o Amor,que eu de imediato lhe disse que já poderia colocar meu nome.
No dia em que recebemos os certificados ,não se fez presente,mas enviou uma correspondência explicando sua ausência.Sua consciência de profissional falara mais alto.Naquele horário estava em aula,na escola que começara a lecionar pouco tempo atrás,conforme havia nos participado muito contente.
Durante as aulas,costumava,como ela mesma dizia,fazer um link(uma ligação) com outros assuntos.Solicitava que não a deixássemos esquecer de continuar o assunto inicial
A sensação que tenho, neste momento, é que Brenda fez um link e esqueceu de retornar ao ponto inicial, deixando em todos nós ,que gostávamos de sua companhia,uma sensação de vazio, e de impotência frente ao inexorável.
Por mais que tente falar sobre ela, a arte, a palavra não dá conta da riqueza do ser humano, cuja ânsia de imortalidade só se concretiza se algo ficar.
Brenda ficará em cada um de nós,através de cada orientação que nos passou,de cada título ou autor que nos indicou como imperdível e sentiremos sua presença em cada parágrafo da leitura ,em cada sorriso ou em cada lágrima que a obra nos proporcionar.
Assim como a morte,BRENDA SE TORNOU ATEMPORAL E UNIVERSAL.
Publicado com cortes no Diário Popular-Pelotas-RS
Data:2007.01.14
http://srv-net.diariopopular.com.br/14_01_07/p0202.html
Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2007.01.15
Publicado no site:http://www.recantodasletras.com.br/homenagens/3496878
Data:2012.02.13

Marcadores:

2 Comments:

At 12:03 PM, Blogger MOB said...

Saudades.Eduardo

 
At 12:04 PM, Anonymous Anônimo said...

Saudades

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home