quinta-feira, dezembro 21, 2006

NEM SEMPRE GANHAMOS



Amo o meu GRÊMIO. Falo meu porque o meu é fonte de alegria,de amor,de luta,tenacidade,paixão e espírito de equipe.Para muitas pessoas pode ser motivo de brigas,desavenças,guerras.Isto para mim nada acrescenta.
Vivi emoções maravilhosas,as quais jamais esquecerei,torcendo pelo Grêmio. Os anos de Luiz Felipe Scolari como treinador foi uma época inesquecível, de emoções intensas.Depois,nas épocas de tristezas,com o rebaixamento,sofria mais por ver meu filho sofrer.Vibrei com o retorno à primeira divisão.Ainda bem que aquilo tudo passou.
Porque falo no Grêmio hoje?
Por tudo que sinto por este clube eu tenho que desejar sempre o melhor para ele, torcer e ter sempre pensamentos positivos. Tenho que vibrar com suas atuações e conquistas.Isto não é o mesmo que desejar o mal dos outros.São coisas distintas, sentimentos diferentes.O ânimo é outro.O que nos move é de outra natureza,em conseqüência tudo ao nosso redor repercute diferente.
Mais uma vez tivemos a prova que vencer é algo independente do tamanho da conta bancária, da projeção social e da visibilidade na mídia.. Isto tudo é o outro lado da questão.O vencer é algo que está intimamente ligado à questão pessoal,subjetiva.Cada um tem que se predispor a ser vencedor,pensar e agir como tal.Isto tem várias implicações.Uma delas é preocupar-se consigo, com sua preparação para enfrentar os desafios e vence-los..É necessário criar condições para isto,se superar caso ,a princípio , esteja em condições desfavoráveis frente ao adversário.Claro que muitas vezes uma gama de fatores externos contribuem e auxiliam na consecução dos objetivos,assim como pode acontecer de todos os esforços envidados serem infrutíferos.
Onde quero chegar com estas considerações?Primeiramente, não aceito que as pessoas desejem o mal dos outros, para poderem se sentir felizes. A felicidade tem que ser resultado de esforço pessoal.No caso do futebol, minha alegria tem que ser a vitória do meu clube do coração.Não posso me contentar com o insucesso do rival.Por isto,o fato do Internacional conquistar o título de Campeão Mundial não foi para mim motivo de dor,tristeza ou angústia,apesar do aborrecimento da torcida gremista em geral.
Acho que mais uma vez temos que ver o lado positivo das coisas e qual o ensinamento que pode ser tirado de tudo isto.
Sabemos que para crescermos é necessário aprender sempre e sobretudo saber colocar-se no lugar do outro para entende-lo melhor e com isto saber seu entendimento sobre o que o cerca,de modo que possamos interagir melhor e também viver melhor.
A vitória do Internacional cujos torcedores cumprimento aqui, serviu para que, enfim, vinte e três anos depois, pudessem entender o que é ser campeão mundial e o orgulho que toda a nação gremista sente desde 1983. São vinte e três inesquecíveis anos de satisfação e orgulho de ser o único clube gaúcho a ser Campeão Mundial, orgulho este que não se apaga e não diminui em virtude da conquista colorada.
Para todos os gremistas, a lição é que ninguém deve se acomodar, conquistar a fama e nela se deitar como em berço esplêndido. Portanto,mãos à obra,pois quem quer a vitória tem que trabalhar para merece-la.
Para todos,independente de clube,é bom não esquecer nunca o refrão da música que usei como título e que diz:
“Nem sempre ganhamos,nem sempre perdemos,mas...
Tem que aprender a jogar...”
Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2006.12.21
Publicado no site:http://www.usinadaspalavras.com
Data:2007.09.15

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home