terça-feira, agosto 01, 2006

TORCER PELO BRASIL


Tinha decidido não escrever sobre a Copa do Mundo, embora seja o assunto do momento e por isso mesmo muito discutido em todos os meios de comunicação.
Já lemos comentários de toda ordem sobre a atuação dos jogadores, por pessoas que entendem do assunto e sobre a decepção daqueles que apostavam na conquista do hexa, em face de notória habilidade dos jogadores brasileiros.
Bem, não resisti. Achei que devia escrever, pelo menos, sobre as lições que podemos tirar de todo esse episódio.
Primeiro, a constatação óbvia, simples, que qualquer pessoa pode chegar: Mesmo ganhando quantias inimagináveis para qualquer cidadão comum, que tem de trabalhar oito horas diárias para ganhar um salário que muitas vezes mal dá para seu próprio sustento, os astros do futebol não estão livres das mesmas mazelas que as demais pessoas, como bolhas nos pés, excesso de peso, contusões, luxações, imprevistos e decepções. Portanto, são tão humanos e vulneráveis como qualquer mortal e por isso mesmo, sujeitos a cometer erros.Todo seu dinheiro não os protege nem os livra dos aborrecimentos.
A segunda constatação é que toda vez que nos empenhamos em uma tarefa, devemos nos colocar nela por inteiro, de corpo e alma e fazermos o melhor que pudermos. Trabalho sério, dedicação, tenacidade, objetivos claros, espírito de cooperação, se a tarefa for desenvolvida em grupo, são fatores fundamentais para obtenção de sucesso.
Parece-me que na nossa seleção, uma das coisas que faltou foi espírito de equipe, pois cada um estava preocupado com os objetivos pessoais, com a superação dos próprios recordes. Não se via dedicação, espírito combativo (não falamos de violência, nem de agressão) e competitivo, garra, disposição, empenho de quem está colocando a alma naquilo que está fazendo. E era um momento de decisão, de tudo ou nada.
Faltou paixão, entrega, intensidade. Estas coisas não dependem do tamanho da conta bancária do indivíduo. Muitas vezes é justamente isso que faz com que haja distanciamento da realidade. Isto acontece tanto com estes astros do futebol,quanto com alguns políticos,como temos visto no cotidiano.
Após a exclusão do Brasil, vi muita gente deixando de usar as cores alusivas à bandeira, ou a seleção,que tanto vinham sendo utilizadas desde o início do ano, em toda sorte de objetos.Reportagens mostraram que os preços destes artigos caíram (o que é bom, pois mostram o quanto de abuso vinha sendo cometido) e que as lojas ficaram com os estoques encalhados .Ora,creio que devemos aproveitar que os preços caíram e adquirir o que interessa,usar e mostrar que torcemos pelo Brasil sim,que temos orgulho de ser brasileiro,e assim prestar nossa homenagem àqueles que fazem este país no seu dia a dia,que lutam com dignidade,sem se deixar corromper.
Torcemos por um Brasil de governantes sérios, realmente preocupados em melhorar a educação (único modo de verdadeiramente nos desenvolvermos) e a saúde e que cumprem o que prometem durante suas campanhas;torcemos pelos empresários que fazem este país crescer,gerando milhares de empregos,proporcionando condições e salários dignos para seus trabalhadores.
Torcemos pelos trabalhadores que executam suas tarefas com dedicação, competência, lealdade,quer faça sol ou faça chuva,pelos profissionais que dando o melhor de seus esforços em suas respectivas habilidades e atividades contribuem para termos, no futuro, um país melhor, pois a responsabilidade de uma nação é de cada cidadão,que deve agir fazendo as escolhas corretas.
Torcemos pelos jovens, que querem conquistar seu merecido espaço, pelo desempregado que luta por melhor qualificação para o mercado, para ter o direito de prover seu sustento e de sua família com dignidade, pelo aposentado que vem sendo massacrado ao longo dos desgovernos, pelas categorias que vem sendo transformadas em bode expiatório de maus governantes, pelas mulheres que enfrentam duplas jornadas para sustentar suas famílias, pelas que ganham salários menores, por serem mulheres, pelas famílias vítimas da violência que até agora esperam por justiça,pelos menores para que saiam das ruas e tenham esperança de um futuro longe das casas de correção e das penitenciárias.
Torcemos sim , por um Brasil mais justo, menos violento, com menos privilégios para bandidos, com mais inclusão e menos discriminação.
Em resumo, gostaria que todos se dedicassem a torcer pelo Brasil, não só nas Copas, nas Olimpíadas, na Fórmula 1, na Ginástica Olímpica,mas no dia a dia, procurando cada um fazer o melhor não só para si ,mas para a coletividade,não importando a natureza da atividade de cada um, pois é assim que se constrói uma verdadeira nação.
Publicado no Diário da Manhã -Pelotas-RS
Data:2006.08.01

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home