quarta-feira, março 21, 2012



É madrugada.
Permaneço acordada, no silêncio da noite.
Só escuto as batidas do coração.
Não perguntes por quem ele bate.
Tal qual os sinos, ele bate por ti.
Fecho os olhos,
trago-te para junto de mim.
Tento rever em todo instante,
Tua face querida.
Relembrar e sentir
O toque de tu mão na minha.

Neste momento,  a dor desaparece
Tudo se torna real.
Por instantes , 
sou, novamente, feliz.



Publicado no :


Publicado no livro, na Antologia on line .
http://www.camarabrasileira.com/apol88-030.htm

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home