sábado, setembro 10, 2011

SERENIDADE


Aragem suave

Em meus ouvidos sopra,

Serenas preces murmura

Meus sentidos acalma.

Hinos de amor

À natureza e à vida,

Cantigas de saudade

Sonatas melancólicas

Carregadas de lembranças

Dos amores que partiram

Mas que em nossos corações

Por toda eternidade permanecerão.


Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2011.09.09 sexta-feira- página 15
Publicado em Pensamentos_Dispersos
Data:2011.09.10



Marcadores:

1 Comments:

At 1:11 AM, Blogger Primos said...

O amor não tem começo nem fim. Bonito poema.

www.entre-primos.blogspot.com

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home