segunda-feira, fevereiro 07, 2011

MÃE NATUREZA


Dá a vida,

 Desabrocha

Acolhe,

Promove esplendores

Belezas sem par.

Dela tiramos sustento

Alegrias para os olhos

Espaço para viver

Locais para lazer,

Descanso , meditação

Reencontro da harmonia

Nela constroem-se moradas

Arranha – céus, imponência

Para iludir o espírito

E ter a falsa idéia de solidez

Perpetuidade, poder

Pensando que aqui ficaremos

Que a vida é amontoado de bens

Utilitários, adereços.

Vã ilusão

Viver é ser transitório

Despir-se das cangas

Que aprisionam o essencial

Ofuscam a luz

Distanciam do DIVINO.

Mãe Natureza

Insultada, ofendida, degradada

Nos mostra dolorosamente

Que a vida é troca de ações

Pensamentos, energia

Que construímos paredes em excesso

Ao invés de preservar florestas

Cultivar flores

Atrair beija-flores e borboletas,

Dar liberdade aos animais.

A natureza se liberta

Liberta as almas

Provoca sofrimento

Por desconhecermos

A real essência de viver.
foto:arquivo pessoal



Publicado no site: http://www.gostodeler.com.br/
Data:2011.02.07
Colunista desde 2009 Publicação 062
Publicado no site:
http://www.planetvet.com.br/
http://www.planetvet.com.br/poesia-ambientais.aspx?codPoeta=36
Data:2011.03.23

Publicado no site:
http://portadopoetabrasileiro.blogspot.com/
Data: 2011.03.25
 Data: 2011.03.31
Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2011.06.13-Segunda-Feira Página 11

Publicado no site:
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/3429380
Data:2012.01.08
Republicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2012,02.04-Sábado página  15

Publicado no site:
http://silviamota.ning.com/profiles/blogs/m-e-natureza
Data:2012.04.28

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home