sexta-feira, outubro 01, 2010

NEGAÇÃO
                                                            
Ah meu filho

Como me dói saber que para ti

Não haverá mais amanhecer

Não haverá pôr-do-sol

Nem noite de luar.

Ou estrelas a brilhar.

Como  dói quando me dizem:

Não tem volta.

Tens que aceitar.

Para ti amor de minha vida

Não haverá sol nem chuva

Nem brisa suave, nem ventania

Nem primavera ventosa ou verão escaldante

Riacho correndo, lagoa profunda ou mar revolto

Nem mesmo riso de criança, ou beijo de amor

Como dói meu filho amado

Saber que para ti só há o silêncio,

E para mim a dor e a saudade.


                                                                                
Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2010.11.17-página 11
Publicado na Antologia on Line -CBJE
http://www.camarabrasileira.com/apol72-020.htm

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home