quarta-feira, julho 07, 2010




O bom guri






Em um tempo que a tecnologia aflorava... Uma turma de crianças se vinculava, com o simples objetivo de alfabetizar-se.

O que parecia apenas um desígnio individual, acabou por reunir boa parte dessas, por excelentes nove anos de estudos, brincadeiras, travessuras...

Com a formatura do ensino fundamental, acabaria a “moleza”(o vestibular chegaria), alguns trocariam de escola, outros permaneceriam...

Porém, o contato, se não diário, como antes, era mais forte, pois já éramos pré-adultos e, assim, conseguíamos dividir nossas ansiedades, naturais da idade...

Passou-se o tempo, veio a faculdade... e com essas responsabilidades...outras ansiedades... Apesar disso, a amizade mostrava-se cada vez mais forte, eis que se consubstanciava em peladas brabas, churrascos (somente no 1736º acertamos a carne), despedidas (só do Fidel, foram umas 15), Grêmio, Lobão, rir do inter e do xavante (ok.. também chorar por causa desses), copas do mundo... Amores...

Esses, vieram, foram, retornaram, sumiram de novo, e alguns poucos ficaram...

Para alguém que não conhece essa turma, esse texto pode parecer vazio e comum, todavia, caso isso ocorra, é de se lamentar... pois são pessoas especiais... deveras especiais...

Uma pena não conhecer...

Dentre toda essa especialidade, é de se ressaltar aquele que sempre demonstrou bondade como a sua maior virtude...

Você que conhece ou participa desta turma, com certeza nunca teve nada contra a pessoa de Roberto Vargas...

A crítica que se fazia a esta pessoa, resumia-se ao único dizer “Ele é bom demais”...

Não pense, que por isso, aquele era bobo, pois, na realidade, essa bondade derivava do caráter justo, determinado e, principalmente, AMIGO.

Com o dom de manusear a tecnologia que outrora surgia, sempre se dispôs a ajudar a compreender essas máquinas cercadas de mistérios...

Quando um de seus próximos, falhava... primeiro estendia a mão para ajudar, após... verificava os erros... e os aconselhava... um verdadeiro AMIGO...

Dos amores mencionados, os mais felizes, com certeza, foram os dele... realmente, doava-se para a pessoa que estava ao seu lado...

Gostaria que a timidez de Roberto e a minha, existente durante a infância, fosse menor... pois teria conhecido aquele mais ainda...

Diante das incertezas que surgem em decorrência deste fato trágico que acometeu nossas vidas, o que mais deixa nos abismado é o fato de que de um grupo de bons guris... o bom guri...



- sinônimo da palavra amizade -



acaba por nos deixar...



e...

com certeza...



Estar num lugar bem melhor do que o mundo em que vivemos...





Thiago Burlani Neves


0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home