terça-feira, julho 06, 2010


Parto às avessas.                         









Sei que por mais que chore                   


Grite ou lamente


Nada vai mudar a dura realidade


Que não consigo aceitar.


Nada me trará de volta


A quem tanto amo.


Tiraram um pedaço de mim


Sangro como um animal ferido de morte


Em estertores de agonia


Cujo fim não antevejo.


Resta-me viver ferida


Com uma dor


Que ao contrário de um parto


Jamais passará.


Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2010.07.19
Blog:http://delasnievedaspetdivulgapoetasdelmundo.blogspot.com/2010/08/isabel-cristina-silva-vargas_20.html

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home