quinta-feira, novembro 12, 2009

ESTRESSE                                                                                                            


O que é estresse? No dicionário Aurélio encontramos a seguinte definição para o estresse: é "o conjunto de reações do organismo a agressões de ordem física, psíquica, infecciosa, e outras capazes de perturbar a homeostase" (equilíbrio).

Essas reações foram desenvolvidas pelo homem desde os primórdios da civilização pelo enfrentamento de situações de grave ameaça ou perigo a que estavam submetidos, em decorrência da necessidade de sobrevivência pelo enfrentamento com animais ferozes em virtude de guerras tribais, catástrofes, busca por alimento e lutas por território.

Em geral o estresse ativa um processo hormonal e nervoso baseado em um estado de alerta, o que explica o aumento do ritmo cardíaco e do estado de vigilância.

Na atualidade os perigos não são os mesmos, mas o homem continua reagindo de forma ansiosa diante dos acontecimentos do cotidiano.

Os perigos hoje são outros: a competição existente no mercado de trabalho, a luta pela garantia do emprego, a aquisição da moradia, a violência que não é mais concentrada nos grandes centros urbanos, mas em todo lugar, a falta de civilidade no trânsito, as drogas, a manutenção e educação dos filhos são os motivos geradores de estresse. São ameaças reais e concretas que atingem o indivíduo. A isso podemos somar o medo de envelhecer associado ao medo da dependência e perda de autonomia física e econômica, a alimentação precária ou inadequada, a falta de lazer, falta de apoio familiar todos estes, isolados ou conjuntamente são fatores desencadeantes de estresse.

Não podemos descartar a predisposição genética do indivíduo.



O estresse pode ser dividido em dois tipos básicos: o estresse crônico e o agudo. O estresse crônico é aquele que afeta a maioria das pessoas, sendo constante no dia a dia, mas de uma forma mais suave. O estresse agudo é mais intenso e curto, sendo causado normalmente por situações traumáticas, mas passageiras como a depressão na morte de um parente. O estresse pode afetar o organismo de diversas formas e seus sintomas podem variar de pessoa para pessoa.



Sintomas gerais:

Físicos



Dores de cabeça

Dores musculares

Insônia

Indigestão

Taquicardia

Alergias

Queda de cabelo

Mudança de apetite

Gastrite

Dermatoses

Esgotamento físico



Psicológicos



Apatia

Memória fraca

Tiques nervosos

Isolamento e introspecção

Sentimentos de perseguição

Falta de motivação

Autoritarismo

Irritabilidade

Emotividade acentuada

Ansiedade

Estudos indicam que trabalhos extenuantes, com rotina pesada causam estresse; a ingestão de muito café diminui a concentração e favorece ao estresse.

O fato de um evento emocional como o estresse afetar o organismo se deve ao íntimo relacionamento entre o sistema imunológico (defesa), sistema nervoso (controle) e sistema endócrino (hormonal). Por isso um estresse intenso pode afetar qualquer um desses sistemas levando à diversidade dos sintomas do estresse.

O estresse pode causar doenças como o derrame cerebral, infarto do coração, úlceras gástricas e até mesmo a síndrome do intestino irritável ou contribuir para a deterioração da saúde mental. Tudo irá depender da vulnerabilidade de cada indivíduo frente às situações de estresse.

Tratamento do estresse:

• Terapias cognitivas e comportamentais: trata-se de um trabalho feito por psicólogos que visa orientar o indivíduo sobre a melhor maneira de administrar o estresse e os fatores causadores, administrar conflitos e resolver problemas.

• Técnicas de relaxamento, como a meditação, por exemplo.

• Prática de atividades físicas regulares.

• Ter uma alimentação saudável.

• Oficinas de estresse para o ambiente de trabalho.



Em alguns casos, por determinado período, o uso de medicamentos pode ser necessário. Nestes casos, o médico sempre deve ser procurado.



O combate ao estresse não ocorre de maneira isolada, mas conjugando vários fatores, entre eles valer-se do auxílio da família, amigos, colegas de trabalho, o que auxilia no equilíbrio emocional, mudança de hábitos, alimentação saudável, prática regular de exercícios físicos, de modo a manter o organismo saudável para enfrentar as dificuldades do cotidiano.






FONTES:

http://www.virtual.epm.br/material/bio/trab2001/grupo2/oquee.htm
http://www.bancodesaude.com.br/estresse/
 http://www.cerebromente.org.br/n11/doencas/estresse.
 www.criasaude.com.br/.
imagem:http://www.marimar.com.br/

Publicad:o no site:www.recantodasletras.com.br
Data:2012.01.31

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home