segunda-feira, março 12, 2007

SIMPLES OPINIÃO



Lembro-me que no verão passado quando alguém se atreveu a dizer que faltava glamour nas praias do litoral gaúcho, desencadeou uma torrente de opiniões contrárias, gerando polêmica. Não me atrevo a tanto, mas analisando algumas poucas praias dá para se notar pontos que acentuam esta diferença.
A proibição de construções na orla marítima tornou precário o atendimento para banhistas. A venda de produtos alimentícios ocorre em pequenas casinhas feitas com material alternativo, embora se assemelhem aos chalés, não tem uma estrutura de bar nem de quiosque. Não proporcionam opções de alimentos variados. É uma lástima considerando que em Atlântida, por exemplo, a arquitetura, a beleza e o requinte das moradias são fantásticos nada devendo neste aspecto a Jurerê Internacional, em Santa Catarina e assemelhando-se muito com Punta Del Este pelo tamanho dos lotes, dos imóveis e pelo paisagismo desenvolvido.
Em Torres a infra-estrutura é boa na praia grande, com bares, restaurantes no calçadão e no outro lado da avenida da praia. É uma cidade que tem vida própria durante todo ano.As belezas naturais são um grande atrativo, embora o Parque da Guarita, atualmente deixe muito a desejar , pois já foi muito melhor cuidado .
Embora Atlântida e Capão da Canoa sejam lugares de pouco problema, considerando-se praias de boa segurança, calmas até pelo grande número de seguranças particulares nas residências lá estão proliferando os condomínios fechados, estes sim com todo glamour possível e imaginável (cerca de quatorze entre Atlântida, Capão, Xangri-lá).
O apelo das construtoras é a qualidade de vida, a tranqüilidade, sossego, o lazer, paisagismo, a segurança e o estilo arquitetônico.
Faço estas considerações pelos anos em que passei as férias entre Torres e Atlântida (entre os dois locais, quase 10 anos).
Embora já tenha explicado em outro texto o que me faz ir para Atlântida nos últimos anos, não posso deixar de tecer comentários sobre um lugar que adoro e que durante 16 anos passei minhas férias. É Balneário Camboriú. Sei que há quem fale da qualidade da água, mas lá existem muitos empreendimentos, com ótima infra-estrutura hoteleira, de lazer, na gastronomia, além das belezas naturais, do mar de águas quentes, da conscientização da importância do turismo que fazem de lá um lugar excelente para se morar, mesmo que a população flutuante do verão atinja em alta temporada quase um milhão de pessoas.
A estrutura, a higiene, o atendimento, a variedade de opções tornam o lugar acessível para todo tipo de consumidor.
A cada ano acompanhávamos os melhoramentos realizados. Foram inúmeros, como a Avenida Central transformada em calçadão, o calçadão na Avenida Atlântica, do pontal norte até a altura da Rua 2000, inicialmente e depois até a barra sul, a construção dos bares no calçadão, os pórticos, as estatuetas, os recantos para leitura e chimarrão, a modificação da praça central, a colocação de asfalto, a iluminação em toda a praia e também no caminho para Laranjeiras, os bancos, a ponte nova no pontal norte, a estação de tratamento de esgotos, a modificação do sentido do trânsito, toda a modificação da barra sul, as novas construções no pontal norte, a construção do Shopping Atlântico, o teleférico, o Cristo luz, o crescimento da praia dos Amores, o asfaltamento do acesso pelo morro. Cada local tem suas peculiaridades, por isto não dá para dizer que tal lugar é pior ou melhor. São diferentes. Dependendo do que se busca, cada uma poderá ganhar a preferência do veranista.
Entretanto me atrevo a dizer que os condomínios aqui do litoral norte, possuem preços astronômicos. É uma realidade que muito poucos podem usufruir, considerando a média da população, as diferenças de região e até mesmo as diferenças dentro de nosso Estado.
Muitos se deslumbram com as vantagens, principalmente os jovens, mas há que se ter muito cuidado, para não confundir conforto, potencial econômico, poder aquisitivo, status, como sinônimo de felicidade, colocando só a aquisição de bens materiais como objetivos principais de vida esquecendo de outros valores que têm de ser buscados, pois ao não conseguirem atingir tais metas poderá ocorrer frustração, fazendo-os sentirem-se desvalorizados, originando conflitos internos.
É importante saber discernir apelos comerciais, não só no que se refere a este âmbito (imobiliário), mas também em outros, à exemplo daqueles que passam a imagem de que magreza é padrão único de beleza, e que esta é sinônimo de felicidade, de realização e que só os belos têm condições e possibilidades de serem valorizados amados e bem sucedidos.
Ponderação, cautela e, sobretudo discernimento são fundamentais para uma vida equilibrada, saudável com valores duradouros e relacionamentos sólidos e estáveis.
Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2007.03.12

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home