sexta-feira, maio 02, 2014

CIRANDA... ARREPIOS

PARTICIPANTES
1- Luiza Porto
2- Clara da Costa
3- Nilza Stringhetta Rossi
4- Marcos Sérgio T. Lopes
5- Sonia Salete
6- Rose Arouck
7- Paulo Silveira de Ávila
8- Helena Luna
9- JVerdasca
10- Cássia Vicente
11- Wilson de Oliveira Carvalho
12- Osamarosman Aedo 2.000 e Nós
13- Isabel C S Vargas
14- Maria Olga de Oliveira Lima
15- HildaRosa
16- Fernando Alberto Salinas Couto
17- Vitória Lynn
18- Humberto Poeta
19- There Válio
20- Isabel Passos
21- Cida Valadares
22- Marinez Stringhetta/Mara poeta
23- Sonia Nogueira
24- Ilze Soares
25- Nilza Stringhetta Rossi
26- José Hilton Rosa
27- Mavi Lamas
28- Maria de Fatima Delfina de Moraes
29- João Coelho dos Santos
30- Gutemberg Maciel
31- Vitória Lynn
32- Maria Conceição de Paula (Conceitita)
33- AugustaBS
34- Nídia Vargas Potsch
35- Cida Micossi
36- José Ernesto Ferraresso
37- Gina Maia
38- Rita Rocha
39- Dioni Fernandes Virtuoso
40- Eduardo Gragnani
41- Zenaide Giovinazzo
42- Sueli do Espírito Santo
43- Eugénio de Sá



ARREPIO

Luiza Porto

Senti um arrepio, de que?
nem sei, veio e ficou
atormentou
uma hora, um dia, vários.
Será paixão, solidão ou simplesmente
frio...
Quero um colo, abraço, ou um laço
que não desfaça.
Aceito um cafuné, no entrelaço
do verso.
Que inspira os amantes, em noites de verão.
Suspiros e ais, outros arrepios
de um prazer total.
Nos beijos molhados, nas pernas que se
abraçam.
Te quero anjo meu.
para sempre até a eternidade.


ARREPIO

Clara da Costa

A paixão explodiu
quando ela o olhou
iluminado,
deslumbrante,
apaixonado,
excitante,
chegando de mansinho
assanhando seu querer,
acendendo seus desejos.
Ele e eu,a mistura certa,
o tempero certo,
a paixão cega,
na penumbra do quarto.
Um arrepio a fez desejá-lo,
amá-lo,
apaixonadamente,
desnudando a madrugada...


ARREPIO

Nilza Stringhetta Rossi

Arrepio de medo ou frio
Pode ser leve roçar de corpos quentes de desejos
Arrepiar antes de mar
É arrepio diferente
Arrepio morno e quase ausente de palavras
São somente sussurros
Eu e ele
Nós.


ARREPIO

Marcos Sergio T. Lopes

E, por vezes,
Ele chega inesperadamente.
E, por vezes,
Toma o instante
E se estende...
Trazendo a lembrança.
E, por vezes,
É forte e intenso.
Fazendo vontade e saudade
Num desejo de se sentir novamente.
E, por vezes,
Ele nos arrasta
E, numa sofreguidão avassaladora,
Implora um outro momento
Para se tornar ardente outra vez.
E, por vezes,
Nada é consumado...
Mas ele veio
Pedindo "outra vez"
Querendo de novo
O fogo que se fez.


Arrepio

SoniaS

Chegou,,,
Como vendaval...
Tudo mudou.
Arrepios de felicidade,
nunca antes sentido!
Você pra mim será sempre,
sempre,
um amor sem fim!


ARREPIO

Rose Arouck

Toca-me
com teus dedos
de desejo
arrepiando minha pele
em festejo
pelas carícias prazerosas
de tua mão...

Fecha com tua boca
minha sina enclausurada
sugando em mim
a delicia insaciada
amparada pelo arroubo da paixão.

Faz tombar
o medo de eu crer em ti...
Deixa marcado o frêmito que o faz sentir.
Crava teus dentes no
meu ímpeto ardente,
mastiga a fúria que me faz
frágil e demente
e sodomiza minha carne
até doer...

Deixa que o frio dilacere
os meus pelos,
que se despem no arrepio
desses apelos.
Deixa o frêmito do delírio me comer
vazando em suor, nessa febre em calafrio
deixando a pele arrepiada,e eu a gemer.


ARREPIO

Paulo Silveira de Ávila

Em ti, multiplico meu presente.
Num arrepio, sou tua ternura, tua paixão
nos meandros de nosso infinito.
Num momento, sou teu espaço,
sem obstáculo, traçado, marcado, amado.
No caminho do teu corpo
quero reencontrar o meu viver, caminhar,
querer-te tanto, despertar, encontrar um lugar vago,
pensar que posso sonhar.
Encantado, descobrir que volto amar.


ARREPIOS

Helena Luna

No frio da noite
procuro teu corpo
junto do meu.
Não encontro,
arrepios me tomam,
não sei onde estás.
Vem eu te peço,
traz-me teu calor,
me abre teus braços,
dá-me teu amor.


A R R E P I O

JVerdasca

Ai, estou sentindo um arrepio
Todo o meu corpo vibra e treme
Pode ser febre, talvez frio ou cio
Porque algo em mim freme - ou geme

Não sei se é o calor, ou o frio
Ou o desejo, que meu corpo agita
Mas sei que é gostoso este arrepio
Sinal de prazer que em mim palpita

Arrepios são sempre passageiros
Os nacionais como os estrangeiros
Sempre terão o mesmo resultado

Prazer ou desprazer que faz vibrar
Adoecer, gozar, engravidar
Seja passageiro ou prolongado.


Arrepio

Cássia Vicente

Um leve toque na pele...arrepio.
Uma brisa que toca,
um suspiro que roça,
uma palavra que toca,
uma sinceridade que roça,
um olhar que toca,
um cheiro que roça...
Um leve toque na pele...arrepio.


Arrepio

WIlson de Oliveira Carvalho

De vez em quando sinto um calafrio
a percorrer meu corpo só por pensar
que um dia possa deixar de me querer.

E depois o que vou fazer com a solidão
que por certo será do meu convívio, e
o que farei com o vazio assenhoreando minha alma?

Como encarar o silêncio do meu quarto,
em que paisagem encontrarei a felicidade para
desanuviar o espírito e descobrir novos horizontes?

Sinto um tremor resultante de um inexplicável frio,
um medo que corre minhas veias, uma sensação
produzida por uma imaginável ausência...

Atrocidade cometida contra um sentimento legítimo,
talvez até por antecipação de uma situação que quer
queiram ou não, se transforma em um malíssimo arrepio.



A R R E P I O

Osmarosman Aedo
2.000 e Nós


Sem notar a brisa
Que enfatizava a noite pouquinha,
Que se estendia até o fim da rua
Aonde despistava-se o amante e o apaixonado,
Um gélido e consciente vento
( imitando os grandes mares, vindo do sul ),
Castigou-me a nuca
Fazendo-me estranho repetidamente...
Distribui olhares por volta da mesma noite
Numa penumbra inconstante
E solucei um sintoma meio que
Escondido
Da avidez de alguns olhares
Que se espreitavam nas janelas
E: brrrr!!!...
Me abracei pra me aquecer
E sumi na mesma noite essa, em que
Um vento gélido me deixou, com frio de você.


ARREPIOS

Isabel C S Vargas

Arrepios... de prazer
Estar em teus braços, sentir teu calor,
Afagar teu rosto enxergar-me em teus doces olhos,
Beijar-te suavemente, esquecer dia, hora,
São acontecimentos únicos
Que me fazem sentir arrepios de prazer.


ARREPIO

Maria Olga de Oliveira Lima

Quando você me olhou,
O calor da noite
Se transformou.
Um frio interior tomou conta...
Meu coração acelerou
Minhas pernas bambearam
Meu olhar congelou o teu
E eu me encantei... Gelei...
Minha pele te chamou
Arrepiados de paixão e amor
Aquecemo-nos os dois...



0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home