sexta-feira, abril 11, 2014

MEU TEXTO NA ANTOLOGIA DE POETAS BRASILEIROS CONTEMPORÂNEOS 112





Isabel Cristina Silva Vargas
Pelotas / RS





Sou




Sou pouco e sou muito.
Sou um simples ser mortal,
Sou o sopro divino que habita em todos nós.
Sou minha carga genética,
Sou o que vivencio,
Sou o meio que me acolhe,
Sou minhas escolhas
Sou o tanto de sonho
Que me torna sempre viva,
As recordações que me inspiram,
A esperança que me empurra para frente,
A voz que ora fala, ora grita
E, muitas vezes, silencia
Para não espantar os que me cercam.
Sou essa voz interior
Que nas piores horas sussurra em meu ouvido,
Dá-me força, levanta-me e não deixa sucumbir.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home