domingo, novembro 10, 2013

PORTA PARA O INFINITO

























PORTA PARA O INFINITO

Conto coletivo surrealista
Grupo Varal do Brasil

Introdução

Num certo dia, em algum lugar, três pessoas caminhavam por ali, quando se depararam com a Porta.
Emocionadas olhavam para a Porta e se olhavam. Pensavam se deviam atravessá-la ou não, se deviam seguir em frente ou não.
E assim começou a história que ligou estas três pessoas para sempre, para sempre amigos.

A história

A grande porta de carvalho, parecia estar ali há séculos, mas, não havia outra saída, voltar e percorrer todo o caminho, poderia ser muito perigoso.
Noah, o mais velho dos três amigos, já cansado da jornada, decidiu sentar-se em uma pedra e comer o pão que armazenava em seu surrado casaco, sofrido com a ação da neve daqueles últimos dias.
Tirza, a mais nova dos três, examinava a furna com cuidado. Na noite anterior, quando ali se abrigaram, o cansaço não permitiu que olhasse além das folhas secas amontoadas em um canto, formando o mais macio leito das últimas noites.
Tirza assustada olhando por cima dos óculos perguntou a Noah:
- Que faremos?
Então Noah disse:
- Estamos cansados, o quê vocês acham de continuarmos essa viagem amanhã cedo e recuperados?Abriremos a porta e iremos ver o que nos espera.
- Sim, respondeu Tirza, vamos pernoitar aqui.
Jacob que estava apenas observando tudo nos mínimos detalhes à sua volta, ficou satisfeito com a resposta da amiga e disse:
- Então, assim que despertarmos pela manhã, seguiremos o nosso destino, mas, todo cuidado é pouco, nunca se sabe o que iremos encontrar no caminho, portas antigas feitas de carvalho sempre são cheias de mistérios.

&

A noite fria desceu sobre os três como um manto gelado. Para aquecer-se e não congelar, eles se abraçaram e de olhos fechados, em prece silenciosa, se prepararam para o que estava por vir.
Enquanto dormiam, foi-se o frio e angústia; partiu a ansiedade e o vento. Sob os seus olhos fechados, dormiam os corpos cansados da caminhada e da espera. Não poderiam ver, adormecidos que estavam, o brilho que sob a Porta aparecia. Mas era noite, logo a manhã viria e talvez aquela luz não mais estivesse.
A luz era intensa e tocava o coração de cada um de uma forma distinta, mesmo dormindo. Traziam em suas lembranças as conquistas e as derrotas e como um filme de suas vidas, os faziam refletir... Sobre um passado que "já era", um presente medíocre, e um futuro que talvez jamais chegaria a ser... mas que seria muito bom, se a última fagulha de esperança presente em seus corações sofridos se reacendesse...
No meio da noite, Noah acordou e decidiu manter vigília para que Tirza e Jacob, pudessem dormir sossegados, já haviam tido ingratas surpresas durante a noite anterior, quando foram surpreendidos por seres nórdicos , que não entendiam o motivo dos três estarem em busca da Porta do Infinito, e serem os guardiões do segredo do Portal do Bem e do Mal, que poderia extinguir todas as guerras existentes no reino de Lukark, e permitir a entrada da Era de Aquarius que seria o prenúncio da longevidade da Paz entre todos os povos do Reino.

&

Tirza, meio na defensiva, tem um pesadelo com o caminho que estão por seguir.Tal como um mau presságio então ela acorda com calafrio ainda mais num ambiente nada acolhedor por ser um corredor de pedras.
Ouviram alguém chamando, batendo violentamente a porta, depararam com um homem de aparência estranha que perguntou:
- Qual de vocês irá desenrolar a missão?
Noah,Tirza e Jacob entreolharam-se. Como numa sintonia perfeita os três respondem ao mesmo tempo:
- nós três.
E nesse momento, se olham de novo com um sorriso . Jacob toma a voz e acrescenta:
- não viemos até aqui juntos pra deixar que alguém passe toda dificuldade sozinho.

&

Não, não era um sonho. A Porta estava aberta, nada dava para ver além. O homem que ali estava chamava por eles. Era um momento de decisão e o reino de Lukark mais do que nunca dependia deles, a paz precisava deles. De mãos dadas, Noah, Tirza e Jacob sorriram por ter dado a resposta ao mesmo tempo. Hamih, o grande homem que estava na Porta, apenas sorriu e fez sinal para entrarem. Imediatamente entraram, e logo perceberam que estavam num grande jardim.
Tirza muito curiosa olhou para um canto e viu que tinha uma cadeira vazia que balançava sozinha, mostrou para os amigos.Todos ficaram curiosos e entreolharam-se estupefatos. seria ilusão? Encararam Hamih com uma grande interrogação:
Cadê o guia?
Hamih responde que dali pra diante eles seriam seus próprios guias e que iriam achar seus caminhos, e lhes disse:

- Vocês receberão as devidas orientações.

&

O medo e a incerteza tomou conta dos três, mas uma grande sensação de aventura aflorou também em seus pensamentos. Foi Tirza quem quebrou o silêncio, dizendo:
- Não percamos tempo com inseguranças, vamos em frente! Vai dar tudo certo!
Assim eles vão caminhando até se depararem com um arco e flecha,uma espada e uma haste de ferro encravada de pedras vermelhas,de quem era? nem imaginavam mas seria de muita utilidade.

E entre flores, plantas gigantescas, belezas ainda intocadas, Noah percebe um pássaro caído num canto do caminho: estava machucado e assustado. Então o acolhe e diz:
- Podemos cuidar dele? Não seria justo abandona-lo assim.

Sem que eles tenham se dado conta, eis ai seu primeiro dos 3 guias que vão adquirir nessa jornada na busca da paz.

De repente passou um vento muito forte, e quando eles olharam a tal cadeira não estava mais vazia, nela tinha uma senhora de cabelos brancos sentada tocando um violino.

Hamih, compreendendo a surpresa dos três recém chegados, pede silêncio. Pega o pássaro das mãos de Noah, afaga-o e libera-o em seguida, cheio de vida. É chegado o momento de reflexão. Hamih olha na direção da velha senhora, que se levanta e vem na direção deles .Ela se apresenta como Vida e assim o diz:

-Para entenderem o significado da sua jornada terão que aprender o significado do perdão e do amor ao próximo!

&

Eles haviam adentrado a Porta do Infinito e aquele portal do bem e do mal agora mostrava sua razão de ser: aprender a maior das lições para levar ao reino a paz sonhada!

Vida então mostra o arco e a flecha, a espada e a haste de ferro para os viajantes e diz:

- Venham! vamos conhecer mais sobre o amor e o perdão

E imediatamente abre-se um portal de luz, onde se visualiza toda a humanidade.

Exclamação geral! Bem-dito seja o Momento!

E, numa fração de segundos, vêem as agonias do ser humano, suas lutas, seus sonhos, seus anseios e entendem a necessidade de semear a solidariedade.

Percebem suas próprias fraquezas e urgências...

É um momento de emoção!

&

Vida e Hamih os observam em silêncio. Cientes de que ali estão nascendo novos seres de luz, onde as armas dão lugar à serenidade e à sabedoria.

Vida entrega o arco e a flecha a Nohah e diz:

- Quando seguir seu caminho, espalhe flechas de amor e união.

Depois dá a espada à Tirza e diz:

- Combata todos os medos, mate o ódio.

Finalmente dá a haste de ferro a Jacob e diz:

- Sustente os seus irmãos! Seja um pilar para eles através do amor.

Os três se dão as mãos em sinal de união e numa reverência de humildade, aceitam a árdua missão.

E uma áurea de energia os envolve: Remanescentes, Almas iluminadas .
E envolve também todo o lindo lugar onde estavam.

&

A energia do amor cintilando trazia a todos uma sensação única de bem-estar. Noah, Jacob e Tirza abraçam e agradecem Hamih e Vida por tudo, pegam seus presentes e seguem em direção à Porta, agora com o intuito de retornar a Lukark e presentear a todos os irmãos com a energia do amor recebido ali, com seus Mestres. Estão dispostos a disseminar assim a paz que vinham há muito tempo procurando

&

No caminho de volta percebem que tudo que viveram, todo o caminho percorrido, cada personagem encontrado, nada foi em vão. Tudo o que consideravam bem ou mal estava apenas sintonizado com a grande missão que os unia. Sabiam que a partir de então seus corações e suas vidas jamais seriam os mesmos.

Como chama flamejante, uma luz clareia cada coração, expandindo a consciência de cada um envolvido nesta mesma causa: difundir o amor e a libertação a toda humanidade.

&

Os três aproximam-se de uma grande montanha que antes não havia no Reino de Lukark. Percebem que a volta dependeria de muito mais sacrifício e união que a ida, lembraram-se de grandes discussões por motivos fúteis no início da Jornada e riram em perceber que com o tempo unidos, se entendiam apenas no olhar e para eles, mesmo com a diferença de ideais e idades mostrava que o tempo e o amadurecimento faziam toda diferença em um relacionamento.

Rodearam parte da montanha, tentando encontrar a via mais fácil para poder transpô-la. Sabiam que com os objetos sagrados recebidos do outro lado da porta do infinito poderiam ser de grande utilidade naquela escalada. O que aprenderiam neste novo caminho? Será que sobreviveriam? Ouviram um som vindo da savana, e ficaram em posição de combate. Poderia ser algum felino em busca de alimentos, poderia ser um dragão, sentiam o medo aflorar por todos os poros e os passos iam se aproximando lentamente. Os dois homens colocaram-se a frente de Tirsa posicionando para protegê-la como a mais frágil do grupo. O Silêncio era tanto que conseguiam ouvir o som do próprio coração. Tum-tum... tum-tum...tum-tum..

&

O respiro de alívio dos três foi imediato, era a senhora que estava na cadeira de balanço do outro lado da porta. Era Vida.

-Nossa!-Exclamou Jacob, quase que a senhora nos mata de susto! Seja bem-vinda a este grupo ansioso e cheio de medo, disse brincando Jacob.

A senhora pausou, olhou os três e com olhar terno sorriu e disse:

_ Se cada um de vocês tivesse a dimensão da coragem que os moveu até a porta do infinito, nada temeriam, mas o motivo que venho até vocês é outro... Tenho que lhes explicar que as armas sagradas que receberam, serão suas aliadas na busca da Rosa Dourada, e esta, que será a grande salvadora do Reino. Mas, nem mesmo em nosso Reino tudo são flores, para conseguir a Rosa terão que passar por 3 desafios, e somente o de coração mais puro dos 3, poderá tocá-la para que o reino das trevas se afaste para sempre de Lukark e o amor e a compreensão voltem a ser soberanos.

A senhora mostrou o caminho por onde deveriam seguir, e advertiu:
- não zombem das pequenas criaturas e das forças da natureza, a Montanha é enfeitiçada e somente voltarão vivos desta missão, se fizerem as 3 escolhas certas que a vida irá impor nesta jornada.

&

Os três não estavam com medo. Sentiam-se incrivelmente fortes.
- Vamos em frente ! Disse Tirza e começaram a subir a montanha!

Ao darem os primeiros passos sentiam-se observados, parecia que tudo na montanha tinha vida... Mas a serenidade que os unia dava-lhes força para seguir em frente... Então ouvem um grande estrondo, entreolham-se...
Seus olhos se arregalam. O estrondo era a montanha entrando em erupção, pois tratava-se de um antigo vulcão adormecido há vários séculos. Tirza, surpreendentemente toma a dianteira e chama seus companheiros numa atitude de coragem e destemor:

- Venham! Vamos em frente! Nossa missão está apenas começando..

Ao verem Tirza caminhando em direção as lavas em chamas, Noah e Jacob saem do estupor e correm seguindo como podem os seus passos. O grito de pavor da amiga destemida gela o sangue em suas veias. O feitiço da montanha mostra sua face. É chegada a hora da primeira escolha:
a montanha reage de forma inesperada a explosão abrindo uma enorme fenda, que inevitavelmente dividiu o grupo. Tirza e Noah ficaram do lado norte da montanha, e Jacob, ficou sozinho do lado Sul.O Rio de lava que os separava era intransponível, a escolha agora era seguirem em frente divididos, mas unidos em pensamento para que fizessem a escolha certa.

Tirza apesar de mais nova,adquiriu tamanho vigor e uma determinação impressionante, apos ter passado pela porta do infinito e achado seu arco e flecha.Então ela olha pra cima e eis que avista seu belo pássaro vigoroso e determinado assim como ela agora.Esse é quem indicaria o caminho mais seguro e correto a seguir já que o pássaro é o guia dela e pode avistar a tudo e a todos .

O pássaro dá um rasante e pega Tirza e Noah, jogando-os em cima dele, afinal, é uma ave muito vigorosa, e atravessando aquele rio de lava, juntando-se a Jacob que estava apreensivo do outro lado

Os três abraçam-se emocionados por estarem novamente juntos. Percebem que sua força aumenta quando os três estão juntos e que para acertarem nas suas escolhas devem confiar um no outro e em seus guias . A fé em algo maior , em um objetivo que será para o bem da humanidade, será o que os sustentará no enfrentamento dos desafios que deverão se seguir até a vitória final.

&

Subiram pela encosta, bastante cansados de toda aventura do dia anterior, a montanha estava gelada e com o cair da noite, o frio aumentava ainda mais, encontraram uma grande árvore e sentaram-se aos seus pés para que pudessem descansar,acharam o lugar acolhedor , mas sabiam que a Montanha podia esconder grandes perigos, e não imaginavam, como encontrariam a tal Rosa encantada que a senhora guardiã da Porta do Infinito havia lhes recomendado encontrar. Estavam próximos à margem de um grande rio, e observando mais viram um castor em apuros: o roedor estava com uma das patas presas entre duas pedras e a maré forte estava subindo com muita rapidez. Jacob imaginava que a água estava muito gelada,mas não poderia deixar o castor naquele sufoco.
Como não podiam alcançar o animal em eminente perigo de vida. Jacob pede pra que Tirza concentrar-se e pedir ajuda a seu pássaro guia.No momento em que Tirza pede mentalmente olhando pra arvore, o lindo pássaro dá um rasante até a pedra e resgata o castor aumentando ainda mais o laço entre guias e os três que buscam a harmonia de toda natureza em sua jornada.

&

Tirza, Noah e Jacob estão ombro a ombro, respirando fundo, após o enfrentamento da montanha e sua fenda com larvas fumegantes. A noite se fez e os três bem próximos enfrentaram o frio. Amanhece. Jacob, o primeiro a abrir os olhos, diz:

- Vejam. Está amanhecendo. Olhem para o Norte: estou vendo Hamith e Vida. Eles estão lá sorridentes a nos observarem.

Os amigos, bem despertos, olham para a Porta do Infinito, sorriem e se animam novamente.
- Precisamos encontrar a Rosa Dourada, diz Tirza... passamos pela montanha, superamos as lavas, andamos pela savana, e não encontramos a rosa dourada.

- Resta-nos atravessar a grande mata que contorna a orla marítima...talvez, aí possamos encontrar a rosa dourada e...

Para de falar. Seus olhos se voltam para o ponto onde a mulher sentada que lhes dera a missão de encontrar a rosa dourada. Os amigos se entreolham emocionados, com a música que vem da mulher e seu violino: um Excelsior Dei os toca por inteiro. Tirza diz:

- esta musicalidade me enleva e a vocês também. Vamos respirar fundo...

Novamente, energizados com a beleza dos sons, se põem a andar em direção à mata: estará lá a rosa dourada? Sabem que se passarem bem por mais esta prova, encontrarão o mar, lá longe, lá atrás. A rosa dourada estará lá? Ou estará no reino de Lurkak?

&

O reino de Lurkak já não é mais o mesmo e nunca mais será. A Porta do Infinito está aberta e permite entrada e saída: para onde?

- Quero encontrar a Rosa Dourada, exclama Tirza, puxando os amigos pela mão.

Eis que no rio aparece , como por encanto, aliás, como tudo que vem se desenrolando à sua volta, um galeão, semelhante àqueles que cruzavam os mares na época das grandes navegações .Parece nem tocar a água , tal a aura branca que o envolve. Dentro dele, seres pequenos que eles não conseguem divisar muito bem. Seriam elfos, duendes, anões ou simples crianças em busca de ajuda?

As salamandras fazem a festa: pululam daqui para ali, tocando suavemente os sinos do galeão sagrado que suavemente se aproxima dos amigos e eles podem ver...

Noah se aproxima do galeão sagrado que ao que indica ser o ultimo guia,e humildemente reclina-se e pergunta sobre a localização secreta da rosa dourada que só o de coração puro pode tocar.

Então estes pequenos seres contam que foram encantados por uma fada para salvá-los: são crianças que precisam de ajuda para encontrarem seus pais.O que eles poderiam fazer para auxiliá-los nesta tarefa? Talvez disso dependesse a descoberta da Rosa que procuravam.Talvez fosse uma tarefa de auxílio mútuo.A participação de todos levaria ao encontro do objetivo de todos. Os três amigos responderam quase ao mesmo tempo.

Vocês sabiam que esta montanha é encantada? Que nela há uma rosa que poderá levá-los para casa e também salvar o reino de Lukark das Trevas?

As crianças se animam frente à perspectiva de retornarem a seus lares. Ainda estão amedrontados diante das incertezas do amanhã e das dificuldades que têm encontrado nos últimos tempos .Saudade da família, fome, frio, perigos diversos, animais selvagens, afogamentos ,até que foram colocados ali , no galeão à salvo, mas , praticamente perdidos. Todos queriam ajudar. Os perigos enfrentados fez com que pensassem muito. Queriam voltar e não desagradar seus pais. Começaram a prometer:
a rosa dourada está mesmo aqui, nesta montanha; precisamos encontrá-la... precisamos procurar mais; a montanha se abrirá para nós, respondeu Tirza emocionada. Jacob e Noah se acercaram da amiga e convidaram-na a procurar mais ali mesmo... Os três deixaram o galeão e se puseram a seguir as salamandras que invadiram por todos os lados, como pequeninos vagalumes lhes mostravam o caminho.

&

Eu prometo fazer sempre meus deveres, dizia um menino com cara de sapeca, eu prometo ajudar minha mãe falava uma menina de cabelos escuros e, eu ao meu pai, exclamava outro. Eu juro não ficar escondendo os brinquedos de meu irmão mais velho dizia um pequeno todo encabulado, E, assim foram todos falando daquilo que faziam e que agora lhes parecia algo muito ruim, mas que na época era mais uma brincadeira para passar o tempo. E todos disseram em uma mútua combinação de olhares. Nós vamos ajudar a salvar o planeta. Não vamos jogar lixo, vamos cuidar das plantas, não poluir a água, vamos amar todos os seres vivos. Não deixaremos ninguém maltratar os animais.

&

Noah perguntou às crianças:

_ Em seu reino existem lendas e histórias?

Os três consentiram com a cabeça.

_ Em nosso reino também, e uma dessas lendas é que um dia, um rapaz de coração puro, subiria a montanha e cumpriria as três provas e livrar-nos-ia do Encantamento e das Trevas. Mas não é tão simples, pois as três provas são humanas .

A primeira prova nós já passamos, estamos unidos, conseguiu fazer com que raciocinássemos juntos e nos reencontrássemos mesmo com um rio de larvas entre nós. As outras provas não sei quais são. Sei que uma é de resistência e a outra é de escolha.

&

Foram subindo em direção ao topo da montanha e a fome já estava grande.
Olhavam em volta: não viam frutas nem legumes que pudessem matar sua fome. Decidiram abrigar-se para dormir, o frio era bem grande naquele trecho. Entraram em uma caverna e para surpresa, encontraram uma grande mesa com muitas coisas deliciosas. Eles estavam cheios de fome e correram ao interior direto para a grande mesa para se deliciarem do banquete.
Foi quando lembrou-se das palavras de Noah:

"A segunda prova é a de resistência, era isso, eles precisavam resistir ao banquete"

Jacob estava desesperado, não podia deixar o grupo ali, com fome, e sendo tentado, tentava encontrar a saída da caverna, mas não teve sucesso, procurava por toda parte e não achava. Então teriam que passar a noite ali, sendo torturados pelo delicioso cheiro vindo daquela mesa.

Tirza começou a chorar e a achar que não conseguiria. A fome estava enorme e pensou em pegar ao menos uma cereja para enganar sua fome, mas pensou duas vezes e não pegou, decidiu explorar a caverna para ver se encontrava outra saída.
Foi caminhando para seu interior, e se afastando da grande mesa.
Foi quando ela viu uma claridade vinda do fundo da caverna.
Foi seguindo aquela luminosidade e avistou a mais linda flor que já havia visto.
A rosa de luz.
A rosa estava lá cálida, linda, reluzente
O encantamento era tão grande que não percebeu que entre as densas folhagens haviam pequeninos e curiosos seres...

De repente, Tirza, se aquietou. Limpou as lágrimas, pegou carinhosamente a Rosa Dourada e ficou quietinha a ouvir a sua mensagem com a voz de Hamith, que com doçura lhe dizia:

- eis os seres que precisam ser cuidados: as crianças. As novas crianças estão chegando para transformar o Reino de Lurkak , num reino de amor e paz.., mais amplo... cuide delas você e os outros também.

Emocionada mais ainda, Tirza, com a rosa dourada nas mãos, se dirigiu para onde estavam seus companheiros.

Ao ser transportada, a rosa dourada enchia toda a caverna com seus raios e a música do violino se fazia ouvir em som maior... Jacob e Noah foram ao encontro da amiga, que lhes estendia a rosa..

O que se passava dentro da caverna, expandiu por toda a montanha mágica, tomada de dourado ao comando de salamandras e sílfides.

Os três amigos, de mãos dadas, deixam a caverna. Noah diz:

- Agora, sim podemos voltar a Lukark. Cumprimos a missão que nos foi pedida. Vamos voltar preenchidos de luz! Vamos voltar. Precisamos arregaçar as mangas para o novo trabalho que temos pela frente... E os três se põem em marcha.

&

Emocionados, contritos, continuam a caminhada. Lá no topo, a grande ave os espera. Os três amigos se entreolham e sorriem.

- Vamos, diz Jacob, vamos, a ave nos levará de volta à cidade de Lukark. Vamos voltar.

Com o sentimento de dever cumprido, missão aceita e mais embalados, preparados, se dirigem para o retorno, onde o trabalho junto à comunidade, os espera. Felizes e mais convictos , estão prontos para a descida daquela aventura ímpar cheia de magia. Cantarolando e de mãos dadas, passos firmes, chegam ao topo onde a grande ave os espera.

&

Assim Tirza, Noah e Jacob seguem para Lukark que é uma cidade que tem um enorme castelo feito em pedras brancas que fica na encosta de uma montanha,onde no topo dessa fica situado o Jardim Eterno de Lukark.Esse foi o local escolhido pelos três determinados companheiros com o objetivo de ali replantarem a rosa dourada trazendo paz pra todo reino.

EPÍLOGO

O castelo de Lukark é resistente ao tempo, ao vento, às tempestades, às chuvas torrenciais... Não é como o castelo que pessoas egoístas imaginam: somente para si, pessoas desprovidas de solidariedade e de tantos sentimentos bons... O castelo de Lukark acolhe tantas pessoas quantas forem necessário, infinitamente... Seu Jardim Eterno no topo é colorido. As flores exalam um perfume de aroma inimaginável: o aroma da paz. O toque suave do vento faz com que o sincronismo da dança das flores com as asas das borboletas coloridas se transformem num balé perfeito. E o canto dos pássaros que voam pelo jardim eterno de Lukark. Várias espécies de lindos pássaros emitem sons afinados formando uma orquestra jamais assistida por alguém. É o som da paz. É o paraíso, é a perfeição. Assim devemos nos sentir quando nos unimos e somos solidários, mesmo que a causa não seja nossa. Somente dessa maneira podemos sentir que não somos, nenhum de nós é um caso isolado. Somos capazes de voar, sentir a liberdade completa, embora tenhamos uma única asa. A nobreza espiritual adquirimos quando entendemos que para voar, precisamos nos abraçar uns aos outros.

A Porta para o Infinito está em nós.

Quando conquistamos e cultivamos amizades, bem próximas em nossos corações, a vida fica mais bela, com cores de tons vibrantes jamais vistos e esse momento mágico nos leva a querer a dividir com eles nossas alegrias, temos mais força para enfrentar os desafios, adquirimos coragem e curiosidade para descobrir os mais temerosos mistérios, enfrentamos os monstros imaginários que ocupam nossa mente. Enfim, unidos a verdadeiros amigos, somos capazes de desvendar o que está dentro de cada um de nós, mas por medo de enxergar, acreditamos estar fora.

Foi assim que os três amigos cruzaram a Porta do Infinito até encontrarem a Rosa de Luz: e a vida deles mudou para sempre.

FIM! (cont...)

Participantes:

Ana Rosa Santana Caroline Baptista Axelsson Cida Gaiofatto Jacqueline Aisenman Dulcio Ulyssea Junior Dulenary Ana Rosa Flavia Assaife Inês Carmelita Lohn
Isabel Vargas Izabelle Valladares Juca Cavalcante Leni André Ly Sabas Mia Malafaia Neyde Bohon Norália Castro Saskia Brígido

ORGANIZADORA: Leni André.
Co-organizadora: Norália de Mello Castro




Queridos amigos, chega hoje para nós A PORTA PARA O INFINITO. Leiam, vale a pena, está fantástico!
Obrigada a todos os participantes, obrigada Leni, obrigada Norália por ter finalmente dado a última forma ao nosso conto!
Com imagem de Arwen Grace

PORTA PARA O INFINITO 
Conto coletivo surrealista
Grupo Varal do Brasil



Introdução 

Num certo dia, em algum lugar, três pessoas caminhavam por ali, quando  se depararam com a Porta.
Emocionadas olhavam para a Porta e se olhavam. Pensavam se deviam atravessá-la ou não, se deviam seguir em frente ou não.
E assim começou a história que ligou estas três pessoas para sempre, para sempre amigos.




A história

A grande porta de carvalho, parecia estar ali há séculos, mas, não havia outra saída, voltar e percorrer todo o caminho, poderia ser muito perigoso. 
Noah, o mais velho dos três amigos, já cansado da jornada, decidiu sentar-se em uma pedra e comer o pão que armazenava em seu surrado casaco, sofrido com a ação da neve daqueles últimos dias. 
Tirza, a mais nova dos três, examinava a furna com cuidado. Na noite anterior, quando ali se abrigaram, o cansaço não permitiu que olhasse além das folhas secas amontoadas em um canto, formando o mais macio leito das últimas noites. 
Tirza assustada olhando por cima dos óculos perguntou a Noah:
 - Que faremos? 
Então Noah disse:
-  Estamos cansados, o quê vocês acham de continuarmos essa viagem amanhã cedo e recuperados?Abriremos a porta e iremos ver o que nos espera. 
- Sim, respondeu Tirza, vamos pernoitar aqui.
 Jacob que estava apenas observando tudo nos mínimos detalhes à sua volta, ficou satisfeito com a resposta da amiga e disse:
-  Então, assim que despertarmos pela manhã, seguiremos o nosso destino, mas, todo cuidado é pouco, nunca se sabe o que iremos encontrar no caminho, portas antigas feitas de carvalho sempre são cheias de mistérios. 

&

 A noite fria desceu sobre os três como um manto gelado. Para aquecer-se e não congelar, eles se abraçaram e de olhos fechados, em prece silenciosa, se prepararam para o que estava por vir. 
Enquanto dormiam, foi-se o frio e angústia; partiu a ansiedade e o vento. Sob os seus olhos fechados, dormiam os corpos cansados da caminhada e da espera. Não poderiam ver, adormecidos que estavam, o brilho que sob a Porta aparecia. Mas era noite, logo a manhã viria e talvez aquela luz não mais estivesse.
A luz era intensa e tocava o coração de cada um de uma forma distinta, mesmo dormindo. Traziam em suas lembranças as conquistas e as derrotas e como um filme de suas vidas, os faziam refletir... Sobre um passado que "já era", um presente medíocre, e um futuro que talvez jamais chegaria a ser... mas que seria muito bom, se a última fagulha de esperança presente em seus corações sofridos se reacendesse... 
No meio da noite, Noah acordou e decidiu manter vigília para que Tirza e Jacob, pudessem dormir sossegados, já haviam tido ingratas surpresas durante a noite anterior, quando foram surpreendidos por seres nórdicos , que não entendiam o motivo dos três estarem em busca da Porta do Infinito, e serem os guardiões do segredo do Portal do Bem e do Mal, que poderia extinguir todas as guerras existentes no reino de Lukark, e permitir a entrada da Era de Aquarius que seria o prenúncio da longevidade da Paz entre todos os povos do Reino. 

&

Tirza, meio na defensiva, tem um pesadelo com o caminho que estão por seguir.Tal como um mau presságio então ela acorda com calafrio ainda mais num ambiente nada acolhedor por ser um corredor de pedras. 
Ouviram alguém chamando, batendo violentamente a porta, depararam com um homem de aparência estranha que perguntou:
- Qual de vocês irá desenrolar a missão?
 Noah,Tirza e Jacob entreolharam-se. Como numa sintonia perfeita os três respondem ao mesmo tempo:
- nós três.
E nesse momento, se olham de novo com um sorriso . Jacob toma a voz e acrescenta:
- não viemos até aqui juntos pra deixar que alguém passe toda dificuldade sozinho.

&

Não, não era um sonho. A Porta estava aberta, nada dava para ver além. O homem que ali estava chamava por eles. Era um momento de decisão e o reino de Lukark mais do que nunca dependia deles, a paz precisava deles. De mãos dadas, Noah, Tirza e Jacob sorriram por ter dado a resposta ao mesmo tempo. Hamih, o grande homem que estava na Porta, apenas sorriu e fez sinal para entrarem. Imediatamente entraram, e logo perceberam que estavam num grande jardim.
Tirza muito curiosa olhou para um canto e viu que tinha uma cadeira vazia que balançava sozinha, mostrou para os amigos.Todos ficaram curiosos e entreolharam-se estupefatos. seria ilusão? Encararam Hamih com uma grande interrogação:
Cadê o guia?
Hamih responde que dali pra diante eles seriam seus próprios guias e que iriam achar seus caminhos, e lhes disse:

- Vocês receberão as devidas orientações.

&

O medo e a incerteza tomou conta dos três, mas uma grande sensação de aventura aflorou também em seus pensamentos. Foi Tirza quem quebrou o silêncio, dizendo:
- Não percamos tempo com inseguranças, vamos em frente! Vai dar tudo certo!
Assim eles vão caminhando até se depararem com um arco e flecha,uma espada e uma haste de ferro encravada de pedras vermelhas,de quem era? nem imaginavam mas seria de muita utilidade.

E entre flores, plantas gigantescas, belezas ainda intocadas, Noah percebe um pássaro caído num canto do caminho: estava machucado e assustado. Então o acolhe e diz:
-  Podemos cuidar dele? Não seria justo abandona-lo assim.

Sem que eles tenham se dado conta, eis ai seu primeiro dos 3 guias que vão adquirir nessa jornada na busca da paz.

De repente passou um vento muito forte, e quando eles olharam a tal cadeira não estava mais vazia, nela tinha uma senhora de cabelos brancos sentada tocando um violino.

Hamih, compreendendo a surpresa dos três recém chegados, pede silêncio. Pega o pássaro das mãos de Noah, afaga-o e libera-o em seguida, cheio de vida. É chegado o momento de reflexão. Hamih olha na direção da velha senhora, que se levanta e vem na direção deles .Ela se apresenta como Vida e assim o diz: 

-Para entenderem o significado da sua jornada terão que aprender o significado do perdão e do amor ao próximo!


&


Eles haviam adentrado a Porta do Infinito e aquele portal do bem e do mal agora mostrava sua razão de ser: aprender a maior das lições para levar ao reino a paz sonhada!

Vida então mostra o arco e a flecha, a espada e a haste de ferro para os viajantes e diz:

- Venham!  vamos conhecer mais sobre o amor e o perdão

E imediatamente abre-se um portal de luz, onde se visualiza toda a humanidade.

Exclamação geral! Bem-dito seja o Momento!

E, numa fração de segundos, vêem as agonias do ser humano, suas lutas, seus sonhos, seus anseios e entendem a necessidade de semear a solidariedade.

Percebem suas próprias fraquezas e urgências... 

É um momento de emoção!


&


Vida e Hamih os observam em silêncio. Cientes de que ali estão nascendo novos seres de luz, onde as armas dão lugar à serenidade e à sabedoria.

Vida entrega o arco e a flecha a Nohah e diz: 

- Quando seguir seu caminho, espalhe flechas de amor e união. 

Depois dá a espada à Tirza e diz:

-  Combata todos os medos, mate o ódio.

 Finalmente dá a haste de ferro a Jacob e diz:

- Sustente os seus irmãos! Seja um pilar para eles através do amor.

Os três se dão as mãos em sinal de união e numa reverência de humildade, aceitam a árdua missão.

E uma áurea de energia os envolve: Remanescentes, Almas iluminadas .
E envolve também todo o lindo lugar onde estavam.


&

A energia do amor cintilando trazia a todos uma sensação única de bem-estar. Noah, Jacob e Tirza abraçam e agradecem Hamih e Vida por tudo, pegam seus presentes e seguem em direção à Porta, agora com o intuito de retornar a Lukark e presentear a todos os irmãos com a energia do amor recebido ali, com seus Mestres. Estão dispostos a disseminar assim a paz que vinham há muito tempo procurando


&


No caminho de volta percebem que tudo que viveram, todo o caminho percorrido, cada personagem encontrado, nada foi em vão. Tudo o que consideravam bem ou mal estava apenas sintonizado com a grande missão que os unia. Sabiam que a partir de então seus corações e suas vidas jamais seriam os mesmos.

Como chama flamejante, uma luz clareia cada coração, expandindo a consciência de cada um envolvido nesta mesma causa: difundir o amor e a libertação a toda humanidade.


&

Os três aproximam-se de uma grande montanha que antes não havia no Reino de Lukark. Percebem que a volta dependeria de muito mais sacrifício e união que a ida, lembraram-se de grandes discussões por motivos fúteis no início da Jornada e riram em perceber que com o tempo unidos, se entendiam apenas no olhar e para eles, mesmo com a diferença de ideais e idades mostrava que o tempo e o amadurecimento faziam toda diferença em um relacionamento.

Rodearam parte da montanha, tentando encontrar a via mais fácil para poder transpô-la.  Sabiam que com os objetos sagrados recebidos do outro lado da porta do infinito poderiam ser de grande utilidade naquela escalada. O que aprenderiam neste novo caminho? Será que sobreviveriam? Ouviram um som vindo da savana, e ficaram em posição de combate. Poderia ser algum felino em busca de alimentos, poderia ser um dragão, sentiam o medo aflorar por todos os poros e os passos iam se aproximando lentamente. Os dois homens colocaram-se a frente de Tirsa posicionando para protegê-la como a mais frágil do grupo. O Silêncio era tanto que conseguiam ouvir o som do próprio coração. Tum-tum... tum-tum...tum-tum..

&

O respiro de alívio dos três foi imediato, era a senhora que estava na cadeira de balanço do outro lado da porta. Era Vida.

-Nossa!-Exclamou Jacob, quase que a senhora nos mata de susto! Seja bem-vinda a este grupo ansioso e cheio de medo, disse brincando Jacob.

A senhora pausou, olhou os três e com olhar terno sorriu e disse: 

_ Se cada um de vocês tivesse a dimensão da coragem que os moveu até a porta do infinito, nada temeriam, mas o motivo que venho até vocês é outro... Tenho que lhes explicar que as armas sagradas que receberam, serão suas aliadas na busca da Rosa Dourada, e esta, que será a grande salvadora do Reino. Mas, nem mesmo em nosso Reino tudo são flores, para conseguir a Rosa terão que passar por 3 desafios, e somente o de coração mais puro dos 3, poderá tocá-la para que o reino das trevas se afaste para sempre de Lukark e o amor e a compreensão voltem a ser soberanos.

A senhora mostrou o caminho por onde deveriam seguir, e advertiu:
-  não zombem das pequenas criaturas e das forças da natureza, a Montanha é enfeitiçada e somente voltarão vivos desta missão, se fizerem as 3 escolhas certas que a vida irá impor nesta jornada.


&


Os três não estavam com medo. Sentiam-se incrivelmente fortes.
- Vamos em frente ! Disse Tirza e começaram a subir a montanha!

Ao darem os primeiros passos sentiam-se observados, parecia que tudo na montanha tinha vida... Mas a serenidade que os unia dava-lhes força para seguir em frente... Então ouvem um grande estrondo, entreolham-se...
Seus olhos se arregalam. O estrondo era a montanha entrando em erupção, pois tratava-se de um antigo vulcão adormecido há vários séculos. Tirza, surpreendentemente toma a dianteira e chama seus companheiros numa atitude de coragem e destemor:

- Venham! Vamos em frente! Nossa missão está apenas começando..

Ao verem Tirza caminhando em direção as lavas em chamas, Noah e Jacob saem do estupor e correm seguindo como podem os seus passos. O grito de pavor da amiga destemida gela o sangue em suas veias. O feitiço da montanha mostra sua face. É chegada a hora da primeira escolha:
a montanha reage de forma inesperada a explosão abrindo uma enorme fenda, que inevitavelmente dividiu o grupo. Tirza e Noah ficaram do lado norte da montanha, e Jacob, ficou sozinho do lado Sul.O Rio de lava que os separava era intransponível, a escolha agora era seguirem em frente divididos, mas unidos em pensamento para que fizessem a escolha certa.

Tirza apesar de mais nova,adquiriu tamanho vigor e uma determinação impressionante, apos ter passado pela porta do infinito e achado seu arco e flecha.Então ela olha pra cima e eis que avista seu belo pássaro vigoroso e determinado assim como ela agora.Esse é quem indicaria o caminho mais seguro e correto a seguir  já que o pássaro é o guia dela e pode avistar a tudo e a todos .

O pássaro dá um rasante e pega Tirza e Noah, jogando-os em cima dele, afinal, é uma ave muito vigorosa, e atravessando aquele rio de lava, juntando-se a Jacob que estava apreensivo do outro lado

Os três abraçam-se emocionados por estarem novamente juntos. Percebem que sua força aumenta quando os três estão juntos e que para acertarem nas suas escolhas devem confiar um no outro e em seus guias . A fé em algo maior , em um objetivo que será para o bem da humanidade, será o que os sustentará no enfrentamento dos desafios que deverão se seguir até a vitória final.


&


Subiram pela encosta, bastante cansados de toda aventura do dia anterior, a montanha estava gelada e com o cair da noite, o frio aumentava ainda mais, encontraram uma grande árvore e sentaram-se aos seus pés  para que pudessem descansar,acharam o lugar acolhedor , mas sabiam que a Montanha podia esconder grandes perigos, e não imaginavam, como encontrariam a tal Rosa encantada que a senhora guardiã da Porta do Infinito havia lhes recomendado encontrar. Estavam próximos à margem de um grande rio, e observando mais viram um castor em apuros: o roedor estava com uma das patas presas entre duas pedras e a maré forte estava subindo com muita rapidez. Jacob imaginava que a água estava muito gelada,mas não poderia deixar o castor naquele sufoco.
Como não podiam alcançar o animal em eminente perigo de vida. Jacob pede pra que Tirza concentrar-se e pedir ajuda a seu pássaro guia.No momento em que Tirza pede mentalmente olhando pra arvore, o lindo pássaro dá um rasante até a pedra e resgata o castor aumentando ainda mais o laço entre guias e os três que buscam a harmonia de toda natureza em sua  jornada.


&


Tirza, Noah e Jacob estão ombro a ombro, respirando fundo, após o enfrentamento da montanha e sua fenda com larvas fumegantes. A noite se fez e os três bem próximos enfrentaram o frio. Amanhece. Jacob, o primeiro a abrir os olhos, diz:

- Vejam. Está amanhecendo. Olhem para o Norte: estou vendo Hamith e Vida. Eles estão lá sorridentes a nos observarem.

Os amigos, bem despertos, olham para a Porta do Infinito, sorriem e se animam novamente. 
- Precisamos encontrar a Rosa Dourada, diz Tirza... passamos pela montanha, superamos as lavas, andamos pela savana, e não encontramos a rosa dourada.

- Resta-nos atravessar a grande mata que contorna a orla marítima...talvez, aí possamos encontrar a rosa dourada e...

Para de falar. Seus olhos se voltam para o ponto onde a mulher sentada que lhes dera a missão de encontrar a rosa dourada. Os amigos se entreolham emocionados, com a música que vem da mulher e seu violino: um Excelsior Dei os toca por inteiro. Tirza diz:

-  esta musicalidade me enleva e a vocês também. Vamos respirar fundo... 

Novamente, energizados com a beleza dos sons, se põem a andar em direção à mata: estará lá a rosa dourada? Sabem que se passarem bem por mais esta prova, encontrarão o mar, lá longe, lá atrás. A rosa dourada estará lá? Ou estará no reino de Lurkak?


&


O reino de Lurkak já não é mais o mesmo e nunca mais será. A Porta do Infinito está aberta e permite entrada e saída: para onde?

- Quero encontrar a Rosa Dourada, exclama Tirza, puxando os amigos pela mão.

Eis que no rio aparece , como por encanto, aliás, como tudo que vem se desenrolando à sua volta, um galeão, semelhante àqueles que cruzavam os mares na época das grandes navegações .Parece nem tocar a água , tal a aura branca que o envolve. Dentro dele, seres pequenos que eles não conseguem divisar muito bem. Seriam elfos, duendes, anões ou simples crianças em busca de ajuda?

As salamandras fazem a festa: pululam daqui para ali, tocando suavemente os sinos do galeão sagrado que suavemente se aproxima dos amigos e eles podem ver...

Noah se aproxima do galeão sagrado  que ao que indica ser o ultimo guia,e humildemente reclina-se e pergunta sobre a localização secreta da rosa dourada que só o de coração puro pode tocar. 

Então estes pequenos seres contam que foram encantados por uma fada para salvá-los:  são crianças que precisam de ajuda para encontrarem seus pais.O que eles poderiam fazer para auxiliá-los nesta tarefa? Talvez disso dependesse a descoberta da Rosa que procuravam.Talvez fosse uma tarefa de auxílio mútuo.A participação de todos  levaria ao encontro do objetivo de todos. Os três amigos responderam quase ao mesmo tempo.

Vocês sabiam que esta montanha é encantada? Que nela há uma rosa que poderá levá-los para casa e também salvar o reino de Lukark das Trevas?

As crianças se animam frente à perspectiva de retornarem a seus lares. Ainda estão amedrontados diante das incertezas do amanhã e das dificuldades que têm encontrado nos últimos tempos .Saudade da família, fome, frio, perigos diversos, animais selvagens, afogamentos ,até que foram colocados ali , no galeão à salvo, mas , praticamente perdidos. Todos queriam ajudar. Os perigos enfrentados fez com que pensassem muito. Queriam voltar e não desagradar seus pais. Começaram a prometer:
a rosa dourada está mesmo aqui, nesta montanha; precisamos encontrá-la... precisamos procurar mais; a montanha se abrirá para nós, respondeu Tirza emocionada. Jacob e Noah se acercaram da amiga e convidaram-na a procurar mais ali mesmo... Os três deixaram o galeão e se puseram a seguir as salamandras que invadiram por todos os lados, como pequeninos vagalumes lhes mostravam o caminho.


&


Eu prometo fazer sempre meus deveres, dizia um menino com cara de sapeca, eu prometo ajudar minha mãe falava uma menina de cabelos escuros e, eu ao meu pai, exclamava outro. Eu juro não ficar escondendo os brinquedos de meu irmão mais velho dizia um pequeno todo encabulado, E, assim foram todos falando daquilo que faziam e que agora lhes parecia algo muito ruim, mas que na época era mais uma brincadeira para passar o tempo. E todos disseram em uma mútua combinação de olhares. Nós vamos ajudar a salvar o planeta. Não vamos jogar lixo, vamos cuidar das plantas, não poluir a água, vamos amar todos os seres vivos. Não deixaremos ninguém maltratar os animais.


&

Noah perguntou às crianças:

_ Em seu reino existem lendas e histórias?

Os três consentiram com a cabeça.

_ Em nosso reino também, e uma dessas lendas é que um dia, um rapaz de coração puro, subiria a montanha e cumpriria as três provas e livrar-nos-ia do Encantamento e das Trevas. Mas não é tão simples, pois as três provas são humanas .

A primeira prova nós já passamos, estamos unidos, conseguiu fazer com que raciocinássemos juntos e nos reencontrássemos mesmo com um rio de larvas  entre nós. As outras provas não sei quais são.  Sei que uma é de resistência e a outra é de escolha.


& 

Foram subindo em direção ao topo da montanha e a fome já estava grande.
Olhavam em volta: não viam frutas nem legumes que pudessem matar sua fome. Decidiram abrigar-se para dormir, o frio era bem grande naquele trecho. Entraram em uma caverna e para surpresa, encontraram uma grande mesa com muitas coisas deliciosas. Eles estavam cheios de fome e correram ao interior direto para a grande mesa para se deliciarem do banquete.
Foi quando lembrou-se das palavras de Noah: 

"A segunda prova é a de resistência, era isso, eles precisavam resistir ao banquete"

Jacob estava desesperado, não podia deixar o grupo ali, com fome, e sendo tentado, tentava encontrar a saída da caverna, mas não teve sucesso, procurava por toda parte e não achava. Então teriam que passar a noite ali, sendo torturados pelo delicioso cheiro vindo daquela mesa.

Tirza começou a chorar e a achar que não conseguiria. A fome estava enorme e pensou em pegar ao menos uma cereja para enganar sua fome, mas pensou duas vezes e não pegou, decidiu explorar a caverna para ver se encontrava outra saída.
Foi caminhando para seu interior, e se afastando da grande mesa.
Foi quando ela viu uma claridade vinda do fundo da caverna.
Foi seguindo aquela luminosidade e avistou a mais linda flor que já havia visto.
A rosa de luz.
A rosa estava lá cálida, linda, reluzente
O encantamento era tão grande que não percebeu que entre as densas folhagens haviam pequeninos e curiosos seres...

De repente, Tirza, se aquietou. Limpou as lágrimas, pegou carinhosamente a Rosa Dourada e ficou quietinha a ouvir a sua mensagem com a voz de Hamith, que com doçura lhe dizia:

-  eis os seres que precisam ser cuidados: as crianças. As novas crianças estão chegando para transformar o Reino de Lurkak , num reino de amor e paz.., mais amplo... cuide delas você e os outros também.

Emocionada mais ainda, Tirza, com a rosa dourada nas mãos, se dirigiu para onde estavam seus companheiros.

Ao ser transportada, a rosa dourada enchia toda a caverna com seus raios e a música do violino se fazia ouvir em som maior... Jacob e Noah foram ao encontro da amiga, que lhes estendia a rosa..

O que se passava dentro da caverna, expandiu por toda a montanha mágica, tomada de dourado ao comando de salamandras e sílfides.

Os três amigos, de mãos dadas, deixam a caverna. Noah diz:

- Agora, sim podemos voltar a Lukark. Cumprimos a missão que nos foi pedida. Vamos voltar preenchidos de luz! Vamos voltar. Precisamos arregaçar as mangas para o novo trabalho que temos pela frente... E os três se põem em marcha.

&

Emocionados, contritos, continuam a caminhada. Lá no topo, a grande ave os espera. Os três amigos se entreolham e sorriem.

-  Vamos, diz Jacob,  vamos,  a ave nos levará de volta à cidade de Lukark. Vamos voltar. 

Com o sentimento de dever cumprido, missão aceita e mais embalados, preparados, se dirigem para o retorno, onde o trabalho junto à comunidade, os espera. Felizes e mais convictos , estão prontos para a descida daquela aventura ímpar cheia de magia. Cantarolando e de mãos dadas, passos firmes, chegam ao topo onde a grande ave os espera.


&


Assim Tirza, Noah e Jacob seguem para Lukark que é uma cidade que tem um enorme castelo feito em pedras brancas que fica na encosta de uma montanha,onde no topo dessa fica situado o Jardim Eterno de Lukark.Esse foi o local escolhido pelos três determinados companheiros com o objetivo de ali replantarem a rosa dourada trazendo paz pra todo reino.




EPÍLOGO 

O castelo de Lukark é resistente ao tempo, ao vento, às tempestades, às chuvas torrenciais... Não é como o castelo que pessoas egoístas imaginam: somente para si, pessoas desprovidas de solidariedade e de tantos sentimentos bons... O castelo de Lukark acolhe tantas pessoas quantas forem necessário, infinitamente... Seu Jardim Eterno no topo é colorido. As flores exalam um perfume de aroma inimaginável: o aroma da paz. O toque suave do vento faz com que o sincronismo da dança das flores com as asas das borboletas coloridas se transformem num balé perfeito. E o canto dos pássaros que voam pelo jardim eterno de Lukark. Várias espécies de lindos pássaros emitem sons afinados formando uma orquestra jamais assistida por alguém. É o som da paz. É o paraíso, é a perfeição. Assim devemos nos sentir quando nos unimos e somos solidários, mesmo que a causa não seja nossa. Somente dessa maneira podemos sentir que não somos, nenhum de nós é um caso isolado. Somos capazes de voar, sentir a liberdade completa, embora tenhamos uma única asa. A nobreza espiritual adquirimos quando entendemos que para voar, precisamos nos abraçar uns aos outros.

A Porta para o Infinito está em nós.

Quando conquistamos e cultivamos amizades, bem próximas em nossos corações, a vida fica mais bela, com cores de tons vibrantes jamais vistos e esse momento mágico nos leva a querer a dividir com eles nossas alegrias, temos mais força para enfrentar os desafios, adquirimos coragem e curiosidade para descobrir os mais temerosos mistérios, enfrentamos os monstros imaginários que ocupam nossa mente. Enfim, unidos a verdadeiros amigos, somos capazes de desvendar o que está dentro de cada um de nós, mas por medo de enxergar, acreditamos estar fora.  

Foi assim que os três amigos cruzaram a Porta do Infinito até encontrarem a Rosa de Luz: e a vida deles mudou para sempre.


FIM! (cont...)


Participantes:

Ana Rosa Santana   Caroline Baptista Axelsson  Cida Gaiofatto  Jacqueline Aisenman                               Dulcio Ulyssea Junior  Dulenary Ana Rosa   Flavia Assaife Inês Carmelita Lohn 
Isabel Vargas  Izabelle Valladares     Juca Cavalcante     Leni André  Ly Sabas  Mia Malafaia Neyde Bohon   Norália Castro  Saskia Brígido


ORGANIZADORA: Leni André.
Co-organizadora: Norália de Mello Castro


Um esclarecimento e um pedido: 

Amigos, o texto surrealista de Porta para o Infinito, deu um trabalhão até estar pronto para uma apresentação. Ficou parado por longo tempo, pois é um texto enorme e surrealista, constando com 4.140 palavras, 19.756 caracteres sem espaço, 553 linhas, 153 parágrafos, 14 páginas. E seu conteúdo cheio de realismo mágico. Mas foi agorinha para Jacqueline que o apresentará a vocês.

Leni André, responsável por sua organização, redigiu um belo epílogo e respeitou a ordem de cada escrita feita pelos participantes.
Eu mantive a ordenação desta colega e minha participação foi apenas com pequenos ajustes para melhorar a compreensão, nada mais.

Confesso que foi muito difícil, mas me recordo bem do entusiasmo na participação de todos, tanto que o resultado foi surpreendente: 14 páginas A4, com letras New roman 14.

Assim, diante de uma participação tão entusiasta, peço aos colegas que acrescentem sugestões para a melhoria do texto, antes dele ser colocado lá no blog, pela Jacqueline. Por favor, estejam à vontade para sugestões...

Bom dia a todos.
Norália

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home