terça-feira, julho 09, 2013

Poesia publicada na Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos - Vol. 103- Agosto de 2013




Isabel Cristina Silva Vargas
Pelotas / RS


Inutilidades



Por muito tempo desejei coisas
Batalhei por aumentar patrimônio
O sucesso era minha meta.
Consegui muitas coisas.
Sentia-me plena de satisfação.
Sem perceber a inutilidade de tais bens.
Eles decoram, adornam, enfeitam
São transitórios, descartáveis,
Sem valor essencial.
O que realmente vale na vida
Não tem valor comercial,
Não se adquire, conquista-se.
São eternos, ainda que o tempo inexorável, 
Tirano os tire de nós.
São os afetos verdadeiros,
Os amores sinceros
Que fazem a vida valer a pena.


0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home