domingo, agosto 26, 2012

VARAL DO BRASIL Nº 17 DIRETO DE GENEBRA






MEU TEXTO



Doce Infância 
Por Isabel Cristina Silva Vargas 

De sonhos tão imaginados e, 
Encantadas ilusões de menina, 
Infância de pura inocência, 
De delicadas bonecas de porcelana, 
Do jogo de amarelinha, do pião e bilboquê, 
Das brincadeiras na garagem 
Ao som de inesquecíveis músicas 
De anos que se tornaram dourados 
Infância de muitos aromas 
 -De chuva na terra seca- 
E, de muitos sabores 
-Dos doces de minha avó- 
Do figo, das balas, de guaco e de hortelã, 
Infância de mulheres guerreiras 
Minha mãe, minha dinda e minha tia 
Que me prepararam para o futuro 
Das grandes alegrias e imensas tristezas 
Que mesmo sem perceber 
Ensinaram-me sobre os grandes revezes da vida 
Dos quais resultei viva, apesar das mutilações . 
Infância que não retorna 
Mas,  que recordei na infância de meus filhos 
Tão diferente da minha 
Porém , para eles igualmente doce 
Infância, doce período de vida 
Que me ensina um novo viver 
Na infância de meus netos . 


Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2012.08.29-página 15-quarta-feira

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home