segunda-feira, janeiro 30, 2012


ROBERTO, O MENINO ANJO


       A história que vou lhes contar é uma história muito bonita e verdadeira.
       Ela conta a vida de um anjo. Um lindo anjo que veio ao nosso planeta para conviver conosco e ajudar as pessoas, além de trazer a todos com quem convivia muita paz, muita alegria, muita união.
            Esse anjo-menino nasceu em um dia muito especial. Em uma sexta-feira santa, que antecede ao sábado de Aleluia e a Páscoa que tem um significado muito importante.
Páscoa é renascimento, vida nova.
            E foi nessa época que Roberto nasceu. Sim esse era o nome do menino.
            Só que ele não sabia que era anjo e que viria para dar muita alegria para sua família.
            Ele era como o amanhecer, bem clarinho, os seus olhos era como um pedacinho do céu. Azul. Muito azul. E seus cabelos eram como do Pequeno Príncipe, loiros, dourados como os raios do sol que se refletem na água.
            Roberto era o único em uma família que só tinha meninas. Isto significa que ele foi muito, mas muito amado mesmo por todos, pelo seu pai, Francisco, pela Isabel sua mamãe e pelas manas que o adoravam.
            Quando ele era bem pequenino tinha muita gente à sua volta. Para as manas,a Ângela, a mais velha , a Francine, a do meio e a Márcia era como se ele fosse um brinquedo encantado. Todas queriam estar com ele. Cada uma cuidava dele de um jeito. Afinal, cada uma era diferente da outra e as idades também eram diferentes.
Mas uma coisa era certa, todas eram também um pouco mãezinhas dele. Todas as meninas gostam de brincar de boneca, pois ele era o boneco que elas gostavam de brincar e de cuidar. E cuidavam mesmo, com muito carinho. Davam banho, arrumavam , levavam para passear, davam comida .
            A Francine que ele chamava de Fã, depois que ele começou a falar até o batizou tornando-se além de irmã, madrinha dele.
            Todos eram muito unidos, sempre os mais velhos cuidando dos menores.
            E assim, Bebeto, como também era chamado em casa foi crescendo muito feliz, muito cuidado e amado.
            Próximo a casa deles morava ainda a avó que ele adorava e que o adorava também e uma tia idosa que o viu crescer e que ajudava a família na criação dos quatro filhos, pois a mãe e o pai trabalhavam para sustentar a família e lhes dar conforto, educação e lazer.
            O RO, assim que a mãezinha dele o chamava, adorava computador. Desde os cinco aninhos que ele ficava mexendo no computador. Quando perguntavam o que ele ia ser quando crescer ele nem pesava duas vezes. Vou trabalhar com computador. Vou tirar Informática, dizia ele na época.
           Chegou o tempo de escola e aí foi muito bom para ele, pois encontrou um monte de amigos para fazer uma série de coisas legais e que as crianças adoram. Fez amigos para estudar, jogar futebol, ir ao cinema, jogar videogame, ver televisão, ir ao parque, tomar banho de piscina no verão, jogar taco, jogar no computador

 Amigos de verdade, como se fossem irmãos. E esses amigos o acompanharam por toda sua vida. Tinha o Pedro, dos cabelos pretos encaracolados como uma ovelhinha, o Thiago, com o cabelo clarinho e os olhos verdes, o Fidel, o Patrick, o Fabinho, o Diego, outro menino com os cabelos enroladinhos, além de outros meninos e meninas.
Crescer no meio deles e na escola onde os irmãos de todos e a irmãs do Bebeto estudavam foi muito bom. Foi uma época de alegrias, de crescimento, de amor, de lembranças boas, porque era como uma grande família. Todos se conheciam, se relacionavam bem, as professoras eram amigas e carinhosas e os meninos e as meninas eram muito bons alunos, brincalhões, é verdade, mas educados, obedientes, respeitavam a todos. Gostavam tanto que até nos finais de semana iam para escola. Tinha campeonato de futsal, de vôlei, ah ia esquecendo o Rodrigo que era louco por vôlei, e quando ia para o apartamento do Roberto queria jogar vôlei até no corredor. Isso era outra coisa que o Roberto dizia que queria ser: jogador de vôlei.
É muito importante que as crianças possam estudar em uma escola que ofereça esportes para praticarem. Esporte é saúde. Ajuda a desenvolver o corpo e a mente. Ensina, desde pequenos, a dividir, a compartilhar as coisas com os outros e ensina que
ter amigos para dividir as alegrias e as tristezas é muito bom.
            Roberto também gostava muito de música. No colégio havia uma banda. Uma banda maravilhosa que já havia ganhado até campeonato nacional em São Paulo. Pois quando ele era bem pequeno ele foi convidado pelo professor para sair na frente da banda. Quando ele ficou maior passou a aprender música com o maestro da banda que era uma pessoa com muita paciência. Ele aprendeu a tocar vários instrumentos até chegar no sax que ele gostava muito.
Roberto teve uma infância, adolescência e juventude muito feliz.
Uma família e amigos que o amavam, uma namorada que o amanha muito, também.
Sabem o que o Roberto estudou quando entrou para a faculdade? Ciência da Computação. Aquilo que ele dizia que ia fazer desde pequeno. E ele gostava tanto disso que ele se tornou muito, mas muito bom mesmo que ele se formou e foi ser professor. Tirou o primeiro lugar no concurso.
E o Roberto que foi um bom aluno, gostava do que fazia-e isso é importante, amar o que fazemos - se tornou um ótimo professor, amado pelos alunos que ele também amava, pois aos sábados ele ia jogar futebol com os alunos lá na faculdade onde ele dava aulas.
Roberto sempre foi muito de paz, não brigava com ninguém, não era de ficar de mau humor, era educado com todos. Uma pessoa muito especial. Tão especial que Jesus precisou dele para ensinar lá no céu e o levou com 23 anos. Muito jovem, muito lindo, muito feliz, muito amado.
            Todos aqui ficaram muito, mas muito triste, seus pais, suas irmãs, sua sobrinha, sua namorada, seus amigos, seus alunos, seus parentes. Ainda estão muito tristes.
          E sabem o que eles fazem quando a saudade e a tristeza aumentam?
         Olhem para o céu e escolhem a estrela mais brilhante, pois é lá que ele deve estar para cuidar de todos nós e das crianças também porque ele adorava crianças e queria ter seus filhos para distribuir todo amor que ele recebeu.
            Se você amiguinho que esta lendo essa história ficou triste também, não chore porque o Roberto não gostava de ver ninguém triste.
            Então sorria e peça para Jesus e sua mãezinha, a Virgem Maria cuidarem dele na estrela que ele vive.
            Pensem nele com muito amor que ele sentirá todo esse amor e será muito feliz onde estiver.
           
 Publicado no livro HISTÓRIAS PARA DORMIR II LANÇADO NA BIENAL DO RIO DE JANEIRO DE 2011
Publicado no site:www.recantodasletras.com.br
Data:2012.01.30
Publicado no Diário da Manhã-Pelotas-RS
Data:2012,04.17- Terça-feira-Página 8
Publicado no blog: PEDAÇOS DE MIM
Data:2102.04.17

Marcadores: ,

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home