quarta-feira, dezembro 29, 2010


 BOA NOVA




O marido anda pela casa dando suspiros que mais parecem gemidos.

A esposa reclama. Não gosta de vê-lo exteriorizar sua angústia e sofrimento. Já mencionou quanto isso lhe afeta, pois aumenta a sua própria angústia que é externada, geralmente, com uma invocação pedindo ajuda divina para ir tocando a vida.

Atualmente, seguem como gado tangido, levados por um único caminho .

Ele foi deitar . Estava cansado. Já era hora. Quando dormia, esquecia. Ou não lembrava. Dá no mesmo. O importante é não dar tempo ou espaço aos pensamentos. Nem aos sentimentos.

Enquanto está acordado não há muita brecha por onde possam passar coisas boas, reluzentes ou esfuziantes, pois o inexorável tem o tamanho e o peso do mundo.

Deitou e dormiu

E sonhou....

Não via nenhum conhecido. Ninguém lhe falou nada.

Mas alguém , que ele não reconheceu chegou e lhe entregou nos braços um bebê recém nascido. Era um menino e apesar de arrumadinho estava sujo de fezes. Estranhou.Vida!!!

Entregaram outro.Sem roupa da cintura para cima. Embaixo, do mesmo modo que o primeiro. Sujo. Outro menino. Eram gêmeos.

Ninguém falou nada.

Lembrou do filho que se fora.

Lembrou da filha que tinha engravidado e perdido o bebê meses atrás.

Tinha certeza que eram dela.

 Publicado na Antologia on Line da Câmara Brasileira de Jovens Escritores
http://www.camarabrasileira.com/
http://www.camarabrasileira.com/contosfantasticos2011.htm
http://www.camarabrasileira.com/cf11-018.htm


                                                                                 


















                   
                                                                                                                                                                                                                                                                                        



0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home